Webmail do IQ

  1. Informativo nº 22

    O aspirante cientista que aprendeu com os índios

    Índio branco, Pyage ou Kadopã. Ou simplesmente, Pierre André de Souza. Assim apelidado, carinhosamente, pelos índios do Parque Indígena do Xingu, norte do estado de Mato Grosso, durante as sucessivas visitas que fez às nações Kurã Bakairi e Xavante, em 1998, 1999 e 2000, e pelos Kamayurá, em 2006, o estudante de doutorado do IQ (Programa em Química Orgânica) Pierre André de Souza é profundamente grato aos ensinamentos que recebeu desses índios: eles foram reunidos no livro, “Um químico no Xingu – o aprendizado de um aspirante cientista com os povos indígenas”, lançado no último mês de novembro, no antigo Museu do Índio.

    Loader Loading...
    EAD Logo Taking too long?

    Reload Reload document
    | Open Open in new tab

    Download [152.77 KB]

    notícia completa...

Biblioteca de informativos

Pesquisar

Search
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in comments
Search in excerpt
Filter by Custom Post Type

O aspirante cientista que aprendeu com os índios

Índio branco, Pyage ou Kadopã. Ou simplesmente, Pierre André de Souza. Assim apelidado, carinhosamente, pelos índios do Parque Indígena do Xingu, norte do estado de Mato Grosso, durante as sucessivas visitas que fez às nações Kurã Bakairi e Xavante, em 1998, 1999 e 2000, e pelos Kamayurá, em 2006, o estudante de doutorado do IQ (Programa em Química Orgânica) Pierre André de Souza é profundamente grato aos ensinamentos que recebeu desses índios: eles foram reunidos no livro, “Um químico no Xingu – o aprendizado de um aspirante cientista com os povos indígenas”, lançado no último mês de novembro, no antigo Museu do Índio.

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Download [152.77 KB]